Quais os riscos da venda de carta contemplada?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Google+ 0 0 Flares ×

venda de carta contemplada

As cartas de crédito contempladas de um consórcio, além de servir para seu propósito principal, acabam servindo como uma “moeda” ou como um bem consolidado nas situações em que seus proprietários necessitam fazer algum dinheiro.

Como todo negócio possui os seus cuidados a serem tomados, quais seriam os riscos da venda de carta contemplada?

O post de hoje aborda alguns aspectos importantes para quem deseja realizar esse tipo de transação, demonstrando o que pode acontecer caso algo dê errado em algum momento da negociação. Acompanhe.

Entendendo a carta de crédito contemplada

A carta de crédito contemplada nada mais é do que o resultado de um sorteio ou de um lance maior realizado em um consórcio. Ou seja, é o documento comprobatório de pagamento que permitirá que o bem que está sendo sorteado nas assembleias seja devidamente resgatado, seja ele um veículo, um imóvel, ou até mesmo um serviço, como uma cirurgia estética, uma viagem ou a realização de um evento.

Riscos da venda de carta contemplada em uma transação mal feita

Um dos maiores riscos da venda de carta contemplada é o que chamamos de “contrato de gaveta”.

Uma situação desagradável que pode ocorrer nesses casos é o novo proprietário da carta de crédito não honrar com as demais prestações a serem quitadas, caso seja esse o caso.  Seja amigo, parente, ou qualquer pessoa que você confie muito, acidentes de percurso são passíveis de acontecer.

venda de carta contemplada

venda de carta contemplada

O ideal é que quando você decidir vender sua carta de crédito consulte a operadora do consórcio que emitiu o documento, de forma a compreender todas as regras para que essa prática seja realizada e tomar todas as medidas necessárias para evitar problemas futuros.

Inconvenientes com o novo comprador

Outros problemas relacionados com a venda de carta contemplada podem estar em problemas posteriores à transação.

É comum que alguns consórcios não permitam a comercialização dos documentos, e dessa forma não cumpra com as devidas garantias financeiras. Isso impede o resgate do bem que está no contrato do consórcio, o que gerará uma grande dor de cabeça para quem vendeu uma carta de crédito sem avisar para a administradora do consórcio.

Um processo longo e que pode não ser bem-sucedido

Se a sua intenção é realizar a venda de carta contemplada com a finalidade de obter um rápido retorno financeiro, em função da urgência em quitar uma dívida ou adquirir outro bem que lhe interessa mais naquele momento, saiba que tudo pode não correr como o esperado.

Como os critérios para a validade da carta contemplada são bastante criteriosos, a negociação pode ser algo que irá lhe causar o transtorno da obtenção de uma série de provas de que se trata de um negócio sem problemas para ser realizado. Isso pode atrapalhar consideravelmente os seus planos de obtenção do dinheiro, configurando um risco ao utilizar o documento como garantia financeira.

Caso você esteja realmente decidido por realizar a venda de carta contemplada, não deixe de consultar o contrato, solicitar auxílio de pessoas que conhecem a legislação específica para o caso, e informar para a administradora do consórcio sobre a transação para ser orientado quanto ao caso. E saiba ainda mais sobre os consórcios lendo o nosso post “Tipos de consórcio: quais são os melhores para se fazer?

 

Comentários no Facebook